foto : (PD/CC0) Alexas / pixabay

Desde o início do ano, já foram detidas cerca de 126 pessoas suspeitas de crimes de violência doméstica. Os números são da GNR, da PSP e da Polícia Judiciária.

De acordo com a edição desta sexta-feira do jornal Público, todos os dias são presas mais de duas pessoas por crimes de violência doméstica.

O exemplo mais recente aconteceu esta quinta-feira, em que houve dois novos casos deste tipo. Em Aveiro, a Polícia Judiciária deteve um suspeito de 32 anos que terá obrigado a ex-companheira, de 50, que não conseguiu acionar o dispositivo de tele-assistência (entregues a vítimas de violência doméstica), a ter relações sexuais, depois de escalar o prédio da mulher e de entrar por uma janela.

O suspeito, que está agora em prisão preventiva, terá ainda ameaçado “derramar a gasolina que transportava num recipiente em plástico e incendiar a habitação”.

Também na quinta-feira, a GNR relatou um caso, que aconteceu no dia anterior, em que um homem de 45 anos, em Portalegre, “é suspeito de agredir a sua esposa, uma mulher de 30 anos, e a sua filha menor, desde 2014″.

O Tribunal Judicial de Portalegre já aplicou ao agressor “as medidas de coação de proibição de contacto com a vítima, proibição de se aproximar da residência, ou outros locais em que a vítima se encontre, e proibição de adquirir armas de fogo”, adianta a GNR.

Este ano, a GNR já deu conta de mais de 45 casos, avança o jornal. A PSP, por sua vez, revela que só entre 1 de Janeiro e 28 de Fevereiro foram detidas 79 pessoas por violência doméstica.

No ano passado, foram 598 e em 2017 foram 565. Os agressores costumam ser homens.

ZAP //

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui