Um touro foi abatido na vila medieval de Monsaraz, no Alentejo, no final de um espetáculo com touro de morte autorizado pela primeira vez pela Inspeção-geral das Atividades Culturais (IGAC).

 

A estocada final foi dada depois de o touro, à semelhança de anos anteriores, ter sido laçado e preso ao muro da arena improvisada, na antiga praça de armas do castelo de Monsaraz, histórica povoação localizada nas margens da albufeira de Alqueva, no concelho de Reguengos de Monsaraz.

Depois de obtida a tão desejada autorização por parte da IGAC, o animal foi abatido à vista dos todos, para gaúdio dos milhares de aficionados que fizeram questão de não perder este momemtno histórico, “Isto é a história do nosso País”, relatou um dos espectadores visivelmente emocionado.

Os promotores da novilhada popular sempre reivindicaram o mesmo regime de exceção concedido a Barrancos em 2002, tendo, mais tarde, recorrido a providências cautelares e a ações administrativas para tentar legalizar o espetáculo.

Com esta autorização, passa a ser permitido em Portugal o espetáculo com touros de mortes em Barrancos e Monsaraz, podendo ser este o mote para este espétaculo se espalhar por todo o País, sabendo o iPressGlobal que já estão a ser preparados novos pedidos à IGAC para a prática desta actividade noutras localidades.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.