Um tribunal sul-africano recusou hoje libertar sob fiança os nove polícias acusados da morte de um taxista moçambicano na semana passada, por considerar que os homens poderiam ameaçar as testemunhas.

“Não creio que seja do interesse da justiça que sejam libertados sob fiança”, afirmou o juíz Sam Makamu, referindo na conclusão dos três dias de audiências que os nove agentes poderiam ameaçar as testemunhas.

No dia 26 de fevereiro, várias pessoas filmaram Mido Macia, um taxista moçambicano de 27 anos a ser agredido, algemado à traseira de uma carrinha da polícia e arrastado por várias centenas de metros pelas ruas de Daveytown, a leste de Joanesburgo.

Cerca de duas horas mais tarde, o moçambicano foi encontrado morto na sua cela, com graves ferimentos, incluindo cortes e uma hemorragia cerebral, num caso que chocou a África do Sul e o mundo.

NOTICIA LUSA
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui