foto : pietro_f / Flickr

Dos 70 deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), 16 respondem por crimes como corrupção, organização criminosa, compra de votos, falsidade ideológica e peculato, segundo um levantamento feito pela plataforma de notícias G1 junto da Justiça brasileira.

Ainda de acordo com o G1, seis dos deputados que integram a nova legislatura estão presos preventivamente e ainda não tomaram posse, na maioria por estarem envolvidos em desdobramentos da Operação Lava Jato, onde são investigados por alegadamente terem recebido subornos mensais que variavam entre 20 mil a 100 mil reais, entre cinco a 24 mil euros.

Cabe agora à Câmara dos Deputados decidir se aquele poderão tomar posse na prisão ou em prisão domiciliária.

Também o recém-eleito presidente da própria Alerj, André Ceciliano, do Partido dos Trabalhadores (PT), é investigado pela falsificação de documentos públicos e de infringir diretrizes orçamentais enquanto era presidente do município de Paracambi, no sul do Rio de Janeiro.

Outros quatro elementos da direção da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro respondem também a processos criminais.

ZAP // Lusa

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui