Uma centena de pessoas participou esta sexta-feira num cordão humano em Odivelas em protesto contra a concessão a privados do abastecimento de água e da recolha do lixo no concelho.

“Não e não à privatização” foram as palavras de ordem gritadas pelos participantes que se concentraram esta tarde junto ao metro de Odivelas.

A ação de protesto, que culminou à porta dos Paços do Concelho, foi organizada pelo Núcleo de Odivelas da Associação Água Pública (AAP), que contesta a decisão da autarquia de concessionar a privados o serviço de abastecimento de água.

Em janeiro, a Câmara de Odivelas votou por maioria a concessão da água e a denúncia do acordo para a recolha do lixo, deixando assim o concelho de ser servido pelos Serviços Municipalizados (SMAS) de Loures.

Uma semana depois, a decisão da Câmara de Odivelas foi confirmada pela assembleia municipal, que votou por maioria esta proposta, perante os protestos dos trabalhadores dos SMAS.

“Esta é uma ação de sensibilização que pretende contestar esta decisão que foi feita à revelia dos cidadãos de Odivelas. Nós queremos água pública de qualidade”, afirmou à agência Lusa, José Veloso, da AAP de Odivelas.

José Veloso referiu que a AAP tinha conseguido reunir até ao dia de hoje sete mil assinaturas contra a privatização da água, com as quais pretende “demonstrar à Câmara de Odivelas que a população se opõe” a este processo.

Presentes no protesto estiveram também os candidatos da CDU à Câmara de Loures, Bernardino Soares, e de Odivelas, Fernanda Mateus, que contestaram o processo e defenderam uma gestão intermunicipal.

O concelho de Odivelas desmembrou-se de Loures em 1998, mas nunca houve uma partilha dos SMAS, processo por resolver há 14 anos.

LUSA
FOTO:Manuel Almeida/LUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui