- Pub -
foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Os microfones estavam abertos e os pilotos estavam presentes na tarde de quinta-feira, quando o Campeonato Mundial de Superbike MOTUL FIM 2022 se prepara para sua última rodada europeia da temporada. O Autódromo Internacional do Algarve é o palco da nona prova a Pirelli Portuguese Round, com todas as estrelas prontas para mais um thriller em Portimão.

Alvaro Bautista (Aruba.it Racing – Ducati):  “O meu pensamento é que é uma nova corrida. Começamos do zero, todos os pilotos,  a classificação não importa. Acho que, com esta margem, posso arriscar mais talvez porque tenho uma maior margem de pontos. Para mim, não muda muito. Acho que é melhor estar focado este fim de semana, tentar fazer o melhor, tentar não cometer erros. Para mim, é importante aproveitar a moto e fazer o melhor trabalho consiga fazer.”

Toprak Razgatlioglu (Pata Yamaha with Brixx WorldSBK):  “Estou muito feliz porque estamos em Portimão e gosto deste circuito, estou entusiasmado. Luto sempre pela vitória e esperamos o mesmo este fim de semana. Esta temporada foi estranha para mim, mas  corridas são as corridas. Talvez  o Alvaro,  tenha um problema técnico ou algo assim… Não estou a olhar para o Campeonato vamos corrida a corrida. Esta pista tem apenas uma longa reta e curvas lentas, adoro. Preciso de ganhar! Acho que somos fortes neste circuito, mas na Argentina, a Ducati pode ser forte por causa das duas longas retas.”

Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK): “Trabalhamos muito na moto para testar algumas novas ideias para esta temporada, mas também algumas ideias para 2023. trabalhamos constantemente para melhorar a mota. Não posso dizer muito sobre o que estamos a testar, mas é emocionante. Muitas coisas são positivas. Além disso, algumas coisas que podemos aproveitar para esta temporada. É importante, como em todas as corridas, dar o nosso melhor, mas, para mim, significaria muito, porque tenho uma seca de vitórias e não foi por falta de tentativas. Tenho dado o meu melhor, mas Alvaro e Toprak têm feito um trabalho incrível, vencendo muitas corridas. Quero voltar às vitórias. Já faz tanto tempo desde a ultima vitória em corridas. Vamos tentar novamente aqui em Portugal.”

Iker Lecuona (Team HRC): “Espero muito, mas ao mesmo tempo quero manter a calma. Sinto-me forte com a moto; Me sinto bem, feliz, confiante com a equipe e comigo mesmo. Portimão é uma pista que conheço bem desde 2016. Gosto da pista, é difícil, mas no inverno tivemos dois dias de testes aqui com Superbike. Meu objetivo é ficar perto dos melhores e tentar recuperar pontos para Lowes e Locatelli, com quem acho que podemos lutar pelo P5 geral. Tivemos dois dias de testes em Aragão na semana passada; tentamos algo na base. Em Barcelona, ​​no final, lutamos muito com o pneu traseiro. Tivemos muitos problemas com a eletrônica e com a potência e aderência. Acho que melhoramos, mas, para ser honesto, este ano é a moto que temos. não temos mais nada. Todas as novas peças que testamos no teste de Aragão são para o próximo ano. Queremos começar o próximo ano em uma posição superior, se pudermos; Sei que temos velocidade e se encontrarmos um pouco mais de aderência traseira, podemos ter bons resultados nas últimas corridas.”

Scott Redding (BMW Motorrad WorldSBK Team): “Estou me sentindo um pouco mais confiante do que Barcelona, ​​acho que esta pode ser uma pista que se adapta um pouco melhor à moto. Eu sabia que Barcelona seria difícil, mas as duas quedas foram muito difíceis para nós. Tivemos algumas boas corridas antes, então deixei isso para trás e viemos aqui e tentaremos voltar a ser como éramos antes, o que acho possível. Estamos pensando em 2023 bem no início da temporada, já que este ano sempre foi sobre compreensão e desenvolvimento, então todas as corridas para nós são testes. Se conseguirmos resultados nas corridas, ótimo e, se não, precisamos melhorar, e é isso que estou fazendo. É claro que queremos obter resultados nas corridas, mas precisamos pensar no quadro geral e isso para mim será no próximo ano, quando pudermos entrar já confiantes. Estou ansioso para ir para o exterior e tentar algumas coisas novas. Com a chegada de Gerloff, me dou muito bem com ele; ele é um cara ótimo, um piloto duro, o que é bom e vindo da Yamaha, o que ouvi dizer, é uma moto bastante amigável para algo que exige um pouco mais de esforço, será interessante.”

Michael van der Mark (BMW Motorrad WorldSBK Team): “Só preciso dar voltas e ficar em forma e mais rápido. Perdi metade da temporada, não é fácil voltar à moto. A velocidade base está sempre lá, mas é apenas o último pouco que é difícil de encontrar. Todo mundo tem uma mentalidade diferente e eu estou apenas perseguindo eles. Temos que manter a calma e ir passo a passo. Quando você tem faixas como essa que eu realmente gosto, torna a vida um pouco mais fácil. Acho que a primeira coisa para Garrett, foi bom em Barcelona vê-lo recuperar sua confiança e voltar ao pódio. Todo mundo sabe que ele é um piloto rápido, um piloto talentoso, e acho que ele está tendo alguns problemas desde 2021. Tenho certeza que agora, quando ele recuperar a confiança, ele pulará na BMW e também acelerará. ”

Dominique Aegerter (Ten Kate Racing Yamaha): “Estou super feliz por estar nas SBK com a Yamaha e a equipa GRT. Será um novo desafio para mim, mas vou tentar fazer o meu melhor. É minha temporada de estreia aos 32! Será um grande desafio, mas sei andar de bicicleta grande; pilotando em casa, nas 8 Horas de Suzuka e testando uma moto de MotoGP™ no início deste ano. Veremos como a Yamaha R1 se encaixa no meu estilo de pilotagem e os primeiros testes de inverno serão importantes – teremos testes em meados de dezembro e depois no final de janeiro. Haverá muita eletrónica novas para se acostumar, como freio motor, anti-empinado e controle de tração que você pode gerir em cada curva, mas também a potência. Estou ansioso para fazê-lo! Tenho contrato direto com a Yamaha e vamos começar com a moto oficial que Toprak e Andrea terão.”

- Pub -

Deixe o seu comentário