foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

O campeão do mundo de SBK Razgatlioglu venceu a primeira corrida completa em Donington Park, Rea conquistou o pódio 500 para a Kawasaki e o líder do campeonato mantém os fantasmas na pista inglesa.

Depois de conseguir o holeshot, Razgatlioglu fugiu e venceu a sua primeira corrida completa da temporada com um avanço de 6,397s sobre Rea, obtendo a sua 20ª vitória da carreira nas SBK. Continua em terceiro lugar no Campeonato a 54 pontos de Bautista.

P1 – Toprak Razgatlioglu (Pata Yamaha with Brixx WorldSBK):

“Hoje, rodei relaxado. Este ano, nas primeiras corridas, não estava  relaxado. Estava a sentir-me  sempre stressado. Esta é a primeira vez que pilotei relaxado como no ano passado. As minhas sensações com a moto são melhores, por isso corro muito melhor. Foi uma corrida inacreditável porque tinha uma vantagem de sete segundos sobre o Jonny. Eu vi  na linha de chegada, e por isso fiz um stoppie de novo. Hoje estou muito feliz. Tentamos encontrar a melhor afinação para a corrida.”

Depois de partir da pole position, Rea lutou com Bautista pelo segundo lugar, mas o espanhol acabou por cair. Com o segundo lugar significou Rea diminuiu a diferença para Bautista na classificação do Campeonato para 16 pontos e ao mesmo tempo que conseguiu o 500 pódio para a Kawasaki.

P2 – Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK): “Na primeira volta, não consegui uma boa posição. Perdi muito tempo para Toprak na primeira metade da corrida. Também estava a lutar um pouco com a moto. Precisamos fazer algumas mudanças para  amanhã, porque durante todo o fim de semana passamos de um equilíbrio de peso para outro e acho que temos que voltar à nossa configuração base que sabemos que funciona.”

Lowes foi o terceiro, conquistando seu primeiro pódio em 2022 e o 20º da sua carreira, na  sua prova caseira.

P3 – Alex Lowes (Kawasaki Racing Team WorldSBK):  “É bom conseguir meu primeiro pódio aqui, moro a apenas 5 minutos. Para ser honesto, na corrida as temperaturas estavam um pouco mais altas e lutei com o pneu porque não tinha muita aderência. Estava a lutar com o Scott e percebi que a aderência dele era ainda menor que a minha! Em algumas partes da pista ele era muito mais rápido que eu, mas noutras partes eu era bem mais rápido que ele. Continuei a tentar ultrapassá-lo, mas ele travava muito tarde mesmo em Melbourne Loop. Ultrapassei-o mas pouco depois ele ultrapassou-me também. Pouco depois ele fugiu um pouco na curva 2. Mas consegui de novo ultrapassá-lo, foi uma boa batalha.”

Redding terminou fora dos três primeiros, mas fez o melhor resultado desde que se mudou para a BMW. Terminou a 11,515s de Razgatlioglu, a menor diferença para o vencedor da corrida esta temporada.

P4 – Scott Redding (BMW Motorrad WorldSBK Team) :  “Hoje tivemos muito bem em pista. Fizemos progressos com a BMW, o que é muito bom. Acabei por perder aderência no  pneu a cinco voltas do fim e não havia nada que pudesse fazer, o que foi uma pena, porque um pódio seria incrível. A batalha foi curta, mas pensei tentei de qualquer maneira. Tinha que tentar, mas acho que faltavam três voltas, não ia conseguir aguentá-lo nas últimas três voltas. Foi muito bom estar na batalha com o grupo da frente.”

Partindo de 10º da grelha de partida, Bassani terminou em sexto, sendo o melhor piloto da Ducati e o melhor piloto independente, um segundo à frente de Rinaldi.

P5 – Axel Bassani (Motorcorsa Racing): “Foi uma boa corrida. Estou muito feliz com o bom trabalho que fizemos desde manhã com a minha equipa. Demos um grande passo à frente. Fizemos uma boa corrida e tentei dar o meu melhor na última volta. O 6º lugar é um ótimo resultado, conseguir ser  a melhor Ducati, é como um pódio… Espero continuar assim amanhã porque sinto-me muito bem na moto.”

Depois de uma corrida com muitas lutas, Rinaldi terminou em sexto, 14,482s atrás do vencedor da corrida. Encontra-se em sexto na classificação do Campeonato a cinco pontos de Lecuona.

P6 – Michael Ruben Rinaldi (Aruba.it Racing – Ducati) : “Não foi uma corrida fácil. Desde a partida tive um problema com a moto e depois de algumas voltas tive outro. Assim foi uma corrida mais na defensiva, porque durante os treinos meu ritmo era mais ou menos parecido com o de Bautista. Quando ele caiu, ele era segundo, acho que poderíamos estar lá em condições normais. Às vezes, as corridas são difíceis e temos de responder de uma maneira positiva. Terminei a corrida da melhor maneira que pude. P6 em Donington nem é bom nem é mau, mas podemos fazer melhor e amanhã temos mais duas hipoteses de fazê-lo.”

Caiu na volta 16 na curva 12 e abandonou a corrida, pondo fim a uma série de 12 pódios consecutivos. O piloto da Ducati continua na frente do Campeonato apesar de não ter terminado a Corrida 1

Alvaro Bautista (Aruba.it Racing – Ducati): “Quando estava à frente, a última curva é sempre complicada, não é uma curva fácil porque tem um ressalto. Não podemos utilizar a mesma trajetória muitas vezes porque depende de como se entra e podemos entrar de várias formas, é uma curva difícil. Travei muito forte e talvez  estivesse com um  pouco de inclinação a mais, perdi a frente quando toquei ressalto.  Acho que temos de ser positivos. Podemos ser muito competitivos na corrida numa pista onde sofremos muito. Podemos ser competitivos amanhã. Estou feliz e confiante para amanhã. Isto são corridas. Estou satisfeito com o meu desempenho. Vamos ver amanhã se podemos manter estas sensações.”

Iker Lecuona (Team HRC) foi o primeiro piloto Honda na P8 naquela que foi a sua primeira corrida em Donington Park.

Os Wildcards Tarran Mackenzie (McAMS Yamaha) e Peter Hickman (FHO Racing) terminaram na P12 e na P22 respectivamente.

A ação nas SBK recomeça no domingo a partir das 09:00 (GMT), seguida pela Tissot Superpole Race às 11:00h e da  Corrida 2 às 14:00h.

Resultados Corrida 1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui