foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

O hexacampeão de SBK lidera nos resultados terminando 0,551s à frente de Razgatlioglu  e a 0,582s de Redding com um tempo de 1m27,016s que está abaixo do recorde da volta de corrida, Bautista encontra-se na P5.

P1 – Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK): “Nunca se está à espera de uma diferença tão grande porque meio segundo é muito. Durante as sessões de treinos, todos utilizaram diferentes estratégias. Hoje eu tentei entender alguns equilíbrios de pesos diferentes com a moto e algumas configurações de electrónica diferentes depois tentei avaliar os pneus da frente e também todos os pneus traseiros. Conseguimos fazer tudo isto. Esta manhã com a opção da traseira mais dura e esta tarde com as duas opções mais macias. Conseguimos muitas informações hoje, agora é sentar para perceber o que vai funcionar melhor amanhã. Só de olhar para a previsão, as temperaturas vão subir, então talvez todo este trabalho seja em vão porque uma diferença de 10 graus no asfalto faz uma grande diferença. O positivo é que temos muitas informações e hoje fomos muito rápidos. Assim, temos um bom começo de fim de semana.”

O mais rápido na FP1, Razgatlioglu terminou esta sexta-feira na P2 a  cerca de meio segundo de Rea. Nunca igualou o ritmo de Rea,  rodou duas voltas em  1’27s e dez 1’28s.

P2 – Toprak Razgatlioglu (Pata Yamaha with Brixx WorldSBK): “Estou muito feliz por voltarmos a Donington Park, porque gosto muito desta pista. Hoje tentamos uma boa afinação para a corrida, mas temos que continuar trabalhando porque na FP2 não fiquei muito feliz – mas a P2 não é um mau resultado. Precisamos de mais aderência na traseira, como sabem gosto muito desta pista! Vamos tentar também uma nova configuração, vamos ver. Este é apenas o primeiro dia, amanhã temos a FP3 e onde vamos tentar de novo uma boa afinação para a corrida. Todos os fins de semana de corrida deste ano temos grandes melhorias, mas todos os pilotos estão muito rápidos. O importante é a corrida, não sexta-feira –  estamos a trabalhar por isso espero  amanhã estar a lutar pela vitória.”

Com um novo braço oscilante à sua disposição, Redding completou os três primeiros esta sexta-feira depois de duas sólidas sessões de treinos livres. Terminou a 0,582s  do melhor tempo de Rea e a 0,031s de Razgatlioglu.

P3 – Scott Redding (BMW Motorrad WorldSBK Team): “Acho que demos grandes passos com a BMW para aproximá-la das outras motas da frente. Guiador diferente, braço oscilante diferente, peseiras diferentes, estou a sentir que é a minha mota e encontro-me com a mente mais limpa para ir rápido. São definitivamente melhorias, isso é certo. Mas ainda é um começo da evolução para mim. Já trabalhei com a Kalex; eles são muito bons tecnicamente entendem a perspectiva do piloto. Haverá mais por vir, o que é muito bom. É apenas uma parte do quebra-cabeças. Temos muitas, muitas coisas em que estamos a trabalhar. Lentamente, começamos a ver a luz ao fundo do túnel.”

Lowes terminou a sexta-feira em quarto lugar com um melhor tempo de 1m27,684s, tendo ficado em segundo na maior parte da sessão.

P4 – Alex Lowes (Kawasaki Racing Team WorldSBK):  “Foi uma boa sexta-feira. Foi muito bom subir para a moto. Fiquei um pouco nervoso esta semana porque é uma verdadeira corrida em casa para mim. É uma pista que gosto e, para ser honesto, senti-me muito bem na moto hoje. Na FP1, tentei minha configuração padrão de 2022 e também algo com que corri no ano passado em Donington. À tarde, tentei fazer uma corrida mais longa com o pneu SCX apenas para reunir algumas informações para a corrida 1 amanhã. Tenho-me sentido muito bem. Há algumas áreas a meio da volta, no segundo setor, onde preciso de melhorar, mas no geral estou muito feliz.”

O líder do campeonato, Bautista, foi quinto, com o seu melhor tempo de 1m27,730s mais lento 0,714s  que o de Rea. Rodou três voltas em 1m27s e 14 voltas em 1m28s mostrando sinais de bom ritmo.

P5 – Alvaro Bautista (Aruba.it Racing – Ducati): “Acho que foi um dia positivo. Senti-me melhor do que esperava; Não esperava nada antes de vir para cá porque me lembro do que se passou à três anos, foi muito difícil para mim. Hoje, estou a sentir-me muito melhor. A sensação com a moto não foi muito má, especialmente no que respeita ao ritmo de corrida, senti-me bastante confortável em comparação com à três anos. Acho que nosso ritmo de hoje foi aceitável. De qualquer forma, temos alguns pequenos detalhes a melhorar para amanhã que talvez me possam ajudar a ganhar algumas décimas e principalmente ser mais consistente. Estou feliz com o dia de hoje.”

Apesar de um pequeno acidente na curva 12 na FP2, Rinaldi completou os seis primeiros esta sexta-feira. Apenas 0,005s o separaram de seu companheiro de equipa em quinto.

P6 – Michael Ruben Rinaldi (Aruba.it Racing – Ducati):  “Usamos a base de Misano que funcionou muito bem aqui, não estava à espera. Falei com a equipa para fazer apenas pequenos ajustes e valeu a pena porque, na FP2, tive um bom ritmo de corrida e fui  consistente. Esta pista muito exigente, mas com esta configuração e este trabalho posso ir rápido todas as voltas, o que significa que a base é muito boa. Ainda precisamos de um pouco mais. Acho que estamos no bom caminho para tentar lutar pelo pódio, que é o nosso objetivo.”

Notas:

Loris Baz (Bonovo Action BMW) foi sétimo, com o piloto francês também a ter direito a um novo braço oscilante na sua BMW M1000RR.

Leon Haslam (TPR Team Pedercini Racing) completou o top 10 no seu circuito caseiro e onde tem muitos fãns.

O primeiro piloto da Honda foi Iker Lecuona (Team HRC) na P12.

Os Wildcards,  Tarran Mackenzie (McAMS Yamaha) e Peter Hickman (FHO Racing) terminaram na  P15º e na P16º respectivamente.

A ação nas SBK recomeça no sábado a partir das 09:00 (GMT), com a Tissot Superpole a realizar-se às 11:10h e a Corrida 1 às 14:00h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui