O piloto francês da Volkswagen inicia a sua caminhada rumo a um quarto título consecutivo, faltando saber quem poderá opor-se ao francês. O WRC arrancou esta quinta-feira em Monte Carlo.

Se a tendência se mantiver, o piloto de 32 anos, deverá viver uma nova época praticamente sem adversários e em que a rivalidade poderá vir essencialmente de dentro da própria equipa, mais uma vez pela mão do finlandês Jari-Matti Latvala, vencedor do Rali de Portugal no ano passado. O terceiro carro voltará a ser pilotado pelo sueco Andreas Mikkelsen.

Para tentar defender os títulos de pilotos e construtores, a marca alemã conta com uma versão renovada do Polo R e está apostada em repetir o domínio do ano passado, assente em oito vitórias de Ogier, três de Latvala e um de Mikkelsen, num percurso cuja única mácula foi aproveitada pelo britânico Kris Meeke, que venceu na Argentina, beneficiando do abandono dos VW.

A superioridade da equipa germânica em 2015 ficou ainda patente nas sete ‘dobradinhas’ alcançadas nas 13 provas do campeonato, no qual chegou mesmo a monopolizar o pódio em três ocasiões, e na classificação final, em que ocupou as três primeiras posições, repetindo assim o desfecho de 2013 e 2014.

“Pela terceira vez consecutiva, iniciamos a época como a equipa a bater e vamos enfrentar oponentes mais fortes do que antes: a Hyundai tem um carro novo, enquanto a M-Sport (Ford) reforçou a sua equipa de pilotos e co-pilotos”, afirmou o diretor da Volkswagen Motorsport, Jost Capito, que vai deixar o cargo durante a temporada.

Rally Portugal15
Thierry Neuville volta a ter a confiança da Hyundai, apesar de ter terminado em 2015 na sexta posição.

Citroën fora do Mundial

Após três títulos de pilotos, outros tantos de construtores e 34 vitórias em 39 ralis, parece difícil pôr em causa a hegemonia da Volkswagen, uma tarefa que compete à Hyundai e à Ford, em virtude do ano sabático anunciado pela equipa oficial Citroën.

Na sua terceira temporada, a marca sul-coreana espera poder fazer frente à VW com um i20 totalmente novo e volta a confiar um dos seus carros a Thierry Neuville, sexto classificado no Mundial em 2014 e 2015, mas desta vez com a companhia do experiente espanhol Dani Sordo, que foi designado como primeiro piloto da equipa principal para 2016.

Aproveitando a saída da Citroën, a Ford entregou um Fiesta RS ao regressado norueguês Mads Ostberg, que impressionou no ano passado com segundos lugares do México e na Argentina e terminou o campeonato em quarto, embora tenha perdido algum fulgor na segunda metade da época, o que correspondeu a um período de afirmação de Kris Meeke, quinto, que este ano fará apenas alguns ralis com o DS3 da equipa privada PH Sport-run Abu Dhabi Total, sem pontuar para o Mundial de construtores.

Este ano o Mundial conta com 14 ralis, fruto da inclusão da China no calendário.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.