Muitas mudanças aconteceram no MOTUL FIM Superbike World Championship que se prepara para começar já no próximo fim de semana.Condensar os pontos de interesse não é fácil, mas de seguida veremos os que até ao momento mais chamaram a atenção durante a pré-época e merecem portanto ser observados em 2020?

Scott Redding (ARUBA.IT Racing – Ducati) a ex-estrela de MotoGP de regresso a um campeonato mundial depois de se sagrar campeão no competitivo campeonato Inglês  BSB, quer fazer o que Bautista falhou,  por isso,  tem os holofotes a incidir sobre si pois pretende-se que pare o domínio de Jonathan Rea no campeonato. Como ficou provado em 2019, não é fácil, o ritmo por si só não supera  a pura consistência. Uma interessante batalha totalmente britânica se perspectiva.

Toprak Razgatlioglu (Pata Yamaha WorldSBK) mais um excelente piloto da Turquia, conquistou duas vitórias numa equipa independente em 2019, mas em 2020 já conta com o apoio de uma equipa oficial de fábrica a Pata Yamaha WorldSBK. Parte com o melhor registo no último teste em Portimão antes de ir para a Austrália, faz com que falem nele, pelas melhores razões, pela grande raça que sempre imprime nas suas corridas. Será em 2020 o próximo de Campeão Mundial de Superbike ?

A Honda não está no WorldSBK com o apoio total do HRC desde 2002, mas em 2020 parece usufruir de um maior apoio, pelo que agora já como equipa oficial está ansiosa por recuperar os sucessos de temporadas muito anteriores e voltar ao topo do Campeonato Mundial de Superbike. Contam com os pilotos Alvaro Bautista e Leon Haslam aos comandos da sua nova CBR1000RR-R e ambos se mostraram  fortes nos testes. Bautista que perdeu incrivelmente o titulo de campeão do World Superbike quer com a mota nova voltar à luta em 2020.

Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK) conseguiu a vitória numero 88 no ano passado, tendo vencido mais de 15 corridas nas últimas três temporadas, parece estar perto de  se tornar o primeiro piloto na história do Mundial de Superbike a alcançar 100 vitórias em corridas. Em Misano o ano passado Rea poderia matematicamente alcançar as 100 vitórias para a Kawasaki, caso vencesse 27 das 39. Outro recorde que também procurará estabelecer será o de ser o primeiro piloto a ganhar seis títulos do WorldSBK, entretanto um pódio com o número 200 também poderá acontecer. Emoções não vão faltar com certeza pelo que não poderemos perder a prova inaugural como tradição em Phillip Island nos dias 28Fev-1 Março.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui