Começou finalmente, o Campeonato Mundial de Superbike 2014 e como tem acontecido nos últimos anos no  sempre incrível circuito de  Phillip Island, na Austrália, o que fez os fãs da modalidade

sbk TV estar acordados durante toda a noite de Sábado para Domingo para  poderem acompanhar ao vivo as corridas e as vitórias surpresas de Eugene Laverty aos comandos de uma Suzuki Oficial e da MV Agusta de Jules Cruzel  na classe de Supersport. Dizemos surpresas porque esta foi a  primeira vitória da marca japonesa desde 2010 no distante em circuito de Kyalami na África do Sul com Leon Haslam aos comandos  e a última vitória da marca Italiana remonta ao ano de 1976.

A vingança é pois  um prato que se come frio e o piloto da Irlanda do Norte  Eugene Laverty, que nunca é demais repetir , competiu pela equipa portuguesa da Parkallgarve  e foi dispensado  da equipa Aprilia o ano passado, que preferiu  ficar com  Sylvain Guintoli e Marco Melandri, o homem que o substituiu na marca de Noale , venceu com todo o mérito a 1ª corrida de 2014.

A corrida começou com o homem da pole o francês Sylvain Guintoli a partir muito bem levando atrás de si  um surpreendente Giugliano com a  Ducati Panigale  e Marco Melandri na Aprilia RSV4, enquanto  atrás se formava um grupo  composto por Rea (Honda Pata) , Chaz  Davies ( Ducati Panigale), Laverty ( Suzuki Crescent) , Loris  Baz ( Kawasaki Racing) , Lowes ( Suzuki Crescent) e do atual campeão Tom Sykes, que sofreu uma grande queda nos treinos mas sem consequências físicas, neste circuito em que nunca foi bom.Aprilia

Na 4ª volta caiu com uma highside ( escorregadela do pneu traseiro) Alex Lowes, o campeão do ano passado da classe supersport e o piloto revelação da pré-temporada, e uma volta mais tarde Toni Elias (Aprilia Red Devils semi-Oficial ), também com  um “highside ‘violento na curva dois.

Entretanto o trio da frente ganhava quatro segundos ao quinteto perseguidor .

Com as posições da corrida bem definidas, a surpresa começou na oitava volta, quando Eugene Laverty, que já liderava o grupo perseguidor, começou a ser quase meio segundo mais rápido do que os lideres da corrida.

Assim, bastaram 5 voltas para o homem da Suzuki alcançar o grupo da frente ducati 1ultrapassando Marco  Melandri na 13 ª volta, David ​​Giugliano na 14ª  e, finalmente, para Sylvain Guintoli na 15 ª e depois continuar a atacar até a bandeira de Xadrez que passou isolado com uma vantagem de 2,9 segundos  sobre  Melandri, que entretanto bateu o seu companheiro de equipa  Guintoli por apenas uma décima de segundo.

David Giugliano,  perdeu o contacto com o grupo da frente apenas nas últimas voltas, o que denota grandes progressos da Ducati em relação à época passada,  efeitos do novo CEO  Gigi Dall’Igna   veremos,  foi o quarto, enquanto Loris Baz ganhou o  Rea e Tom Sykes, com Chaz  Davies na 8º posição e David Salom  em 9º lugar depois de derrotar  Canepa no seu duelo particular para ser o primeiro na classe EVO .

Grelha de Partida

Classificação 1ª Corrida

 2ª Corrida

A segunda corrida Campeonato Mundial de Superbike 2014, deixou-nos com uma agradável sensação  como de mel nos lábios, apesar de ter sido interrompida quando ainda faltavam  7  voltas para o final, pela bandeira vermelha mostrada em pista devido ao motor da  Suzuki Oficial de Eugene Laverty ter entregue a alma ao criador deixando a pista cheia de óleo e sem condições para se retomar a corrida.Suzuki 1

A 2ªcorrida começou com mais uma partida tipo relâmpago do homem da  pole Sylvain  Guintoli  e do seu companheiro de equipa Marco Melandri,  logo perseguidos por  Baz, Rea, Laverty, Giugliano, Haslam, Davies e Sykes.

Entretanto  Toni Elias, que começou da última posição da grelha devido a problemas mecânicos devidos àsua queda na 1ª corrida, colocava-se na  ficou em 10 º posição com apenas decorrida meia volta, o que dá ideia da sua frustração com o acontecido e a pouco mais de dois segundos do grupo da frente.

O francês Guintoli tentou, como tinha feito na primeira corrida, partir a corrida e fugir dos perseguidores mas não conseguiu ainda que tenha liderado a corrida até 7 volta, altura em que Loris Baz assumiu a liderança quando ultrapassando a Aprilia.

Na oitava  Laverty  assumiu a liderança e  Melandri  segue em frente numa curva fechada descendo para as últimas posições da corrida, perdendo quaisquer hipóteses de lutar pelo pódio. Laverty continuou atancando e partir o grupo onde apenas  Baz e Guintoli o acompanhavam, enquanto Sykes liderava  o grupo perseguidor.kawazaki

Na volta 12 Guintoli passa para a segunda posição e na volta 13 assume o comando ultrapassando  Laverty. As atenções passaram então para Tom Sykes que a cada volta que passava ganhava uma décima ao trio da frente com Melandri seguido de  Elias, a  recuperarem rapidamente posições.

A emoção que estava ao rubro e concentrada para as últimas voltas foi estragada pela falta de fiabilidade do motor  da Suzuki de Laverty na volta 14 e a  já mencionado bandeira vermelha no início da volta nº 15, deixando a vitória  numa bandeja de prata para Sylvain Guintoli, acompanhado no pódio pelos pilotos da Kawasaki, Baz e Sykes.

Giugliano, Rea, Haslam, Davies, Melandri e Elias foram os seguintes classificados, com  David Salom, a  repetir a vitória na classe EVO.

Após esta primeira prova Sylvain Guintoli lidera a classificação geral com 41 pontos seguido de Loris Baz com 31 e de Marco  Melandri com 28.pontos.

Classificação 2ª corrida

Classificação de Construtores

Corrida Supersport 

Trinta e oito anos depois do seu último sucesso , alcançado pelo grande Giacomo Agostini no seu 4 cilindros de 500 cc em Nürburgring ,  a MV Agusta está de volta às vitórias no  campeonato do mundo com a soberba F3 675 da MV Agusta Reparto Corse que conseguiu uma impressionante vitória na classe Supersport em  Phillip Island na primeira prova deste Campeonato do Mundo.MV Agusta

A vitória surge de uma impressionante recuperação de Jules Cluzel  que  apesar de  partir da 14 º posição da grelha de partida, impôs um ritmo alucinante, até chegar aos líderes da corrida  e  depois delineou uma estratégia impecável para as últimas voltas e ultrapassou  Coghlan e De Rosa , segundo e terceiro classificados respectivamente.

O jovem piloto francês da MV Agusta Reparto Corse – equipa Yakhnich Motorsport, mostrou tanto o seu talento como o enorme potencial da moto .

Jules Cluzel : “Estávamos muito infelizes, tanto durante os últimos testes, como no início do fim de semana. Fizemos muito menos voltas do que as que  deveríamos e pensar em  ganhar era apenas um sonho ! Antes do início eu disse aos meus mecânicos que  faria o meu melhor , e isso é exatamente o que fiz , não cometi  um único erro. É uma vitória merecida , ainda temos um longo caminho a percorrer, mas estamos convencidos de que a moto e a equipa têm um enorme potencial ” .

Giovanni Castiglioni, presidente da MV Agusta encantado também por este sucesso declarou: ” Foi uma vitória maravilhosa, e uma emoção indescritível. Quero dedicar esta primeira vitória ao meu pai, cuja fé na MV e a possibilidade de um regresso bem sucedido para as corridas sempre foi inabalável , e ao falecido pai de Brian Gillen, nosso gerente da Reparto Corse. Quero agradecer à equipa Yakhnich Motorsport e a todos os envolvidos neste ambicios projeto o para o seu empenhamento exemplar ”

 

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.