O Campeonato do Mundo de Superbike esteve no passado fim de semana num dos circuitos mais espectaculares do Mundo, o Autódromo Internacional do Algarve (AIA) em Portimão, servido de excelentes acessos,  numa região cheia de sol e praias.

O circuito reuniu além dos turistas de férias no Algarve, fãs de todo o mundo, salientando-se em número os do norte da Europa que em boa hora deixaram a praia para ver excelentes corridas, os Ingleses apaixonados desde sempre pelo WSBK e também, como não podia deixar de ser, os nossos irmãos Espanhóis, campeões em quase todas, para não dizer em todas as modalidades mais importantes, como o futebol, formula 1, o mundial rallies, o todo o terreno, etc, e que além de possuírem 4 circuitos permanentes no mundial de motociclismo ( Jerez, Barcelona, Aragon e Valência) , com as enchentes que verificamos este ano em Jerez de Lá Fronteira, sim, não se limitam a acompanhar uma única modalidade,  nos brindaram em grande no AIA…. bem hajam !!!

Como forma de divulgar a região do Algarve, a organização convidou na 5ª feira, os jornalistas e os principais pilotos do mundial, – Eugene Laverty – Aprilia Racing Team; Marco Melandri – BMW Motorrad GoldBet SBK Team;  Loris Baz – Kawasaki Racing Team;  Leon Haslam – Pata Honda World Superbike Team;  Jules Cluzel – FIXI Crescent Suzuki;  Carlos Checa – Team Ducati Alstare; Sam Lowes – Yakhnich Motorsport não esquecendo o português Miguel Praia – Team Lorini Honda, piloto habitual deste mundial na classe Supersport mas que este ano se encontra a competir no campeonato nacional do Brasil, pelo que participou neste fim de semana como wild card, para um evento onde o Chef Hans Neuner – nomeado Chefe do ano de 2009 e 2011 do Restaurante Ocean do Vila Vita Parc Resort & Spa (2 estrelas Michelin) foi a estrela, dando preciosas dicas aos pilotos na confeção de uma Cataplana.

kawa _3

kawa _4

kawa _6Os pilotos deram o seu melhor, o prato e o vinho pela nossa parte estavam ótimos, mas as

corridas começavam no dia seguinte, pelo que os pilotos aproveitaram ainda o dia para visitar o Museu de Portimão e promover as corridas numa seção de autógrafos junto ao shopping do Continente de Portimão.

O magnifico parque de estacionamento do AIA, enchia-se de animação, motas e promoções das marcas que lideraram o mundial.
Falar de Superpoles neste campeonato de SBK de 2013 é falar de Tom Sykes, que obteve a sua sexta pole em seis corridas impressionante … mas esta de Portimão foi a mais difícil de conquistar pois a diferença para o segundo Eugene Laverty foi de apenas 0,001seg. isto é 1 milésima…. adivinhavam-se como habitual corridas cheias de emoção.

kawa _2kawa _1

Corrida 1 –

Marco Melandri ganhou a primeira corrida do Mundial de Superbikes em Portimão, alcançado a sua segunda vitória da temporada, numa corrida cheia de lutas e emoções

A corrida começou como não poderia deixar de ser com o homem das poles, Tom Sykes ( Kawasaki ),  a  assumir a liderança, logo seguido do grupo de furiosos composto por Melandri ( BMW ), Laverty ( Aprilia ),  Rea ( Honda), Guintoli ( Aprilia ) e Carlos Checa ( Ducati )

Tom Sykes atacou forte, e  Carlos Checa ( Ducati ) foi o único que não conseguiu acompanhar o ritmo, e foi alcançado por Loris Baz ( Kawasaki )  e Giugliano ( Aprilia ).

Laverty começaou a atacar a liderança de Sykes à 6ª volta, e na volta seguinte, passou a  Kawasaki, e duas voltas mais tarde o grupo perdia Jonathan Rea, com problemas na sua Honda.

A Aprilia oficial de Laverty dominou a corrida até a 12ª volta, altura em que o azarado Laverty, já tinha perdido a pole por 1 milésima, teve de abandonar a corrida devido também a problemas na mota, deixando o comando para o agora ainda mais reduzido grupo formado por Melandri Sykes e  Guintoli um pouco mais atrás.

Já nos estávamos aproximar do final da corrida e o desgaste dos pneus começa a passar a fatura, com os  tempos de volta a baixarem em mais  de 2 segundos, o que permitiu a Guintoli juntar-se ao duo da frente quando faltavam cinco voltas para o final,. A luta começava mais a sério e Sykes passa  Melandri na travagem no  final da reta da meta, fecha a trajetória e força Melandri a sair em frente, ficando à primeira vista fora da luta pela vitória …. mas, o italiano ex-piloto de Motogp não se deu por vencido e, em apenas 2 voltas voltou à liderança da corrida.

Quando faltavam duas voltas, Guntoli  passa Sykes no final da reta da meta  e duas curvas depois, Melandri faz o mesmo,  ficando o inglês Sykes sem opções na luta pela vitória,  esta ficou  entregue a Guintoli e Melandri que trocaram de posições várias vezes durante a última volta e meia, ganhando o italiano na mota alemã ao francês da mota italiana por apenas 0,007seg

Guintoli Porimão_1

Marco Melandri: “Não tinha nenhum objetivo depois de ter saído em frente, apenas dar o meu melhor , no final  consegui ganhar e, estou muito feliz com esta segunda vitória da época.”

Sylvain Guintoli: “Tentei conservar os pneus  até ao limite. Estou feliz, fiz vários erros, mas no final consegui apanhar o grupo da frente.  Foi um bom resultado, que nos permite manter a liderança no campeonato. ”

Tom Sykes: “Tivemos muitos problemas de tração na corrida, a Kawasaki deve trabalhar mais este aspecto, mas estou feliz com o resultado.”

Classificação 1ª corrida  – Portimão

Corrida 2 –

Eugene Laverty, que não terminou a primeira corrida em Portimão , ganhou com tranquilidade a corrida, nesta que considera  a sua segunda casa, e ainda pode lutar pelo titulo  depois dos problemas de Tom Sykes e Marco Melandri nesta 2ªcorrida.Sykes Portimão_3

Sykes Portimão_1Sykes Portimão_2Estas corridas, estão cada vez mais emocionantes, e para tal não faltam motivos … Tom Sykes , o homem da pole, cai incrivelmente na volta de aquecimento, imediatamente antes da partida, consegue voltar à pista,  mas entra nas boxes com a mota em condições deploráveis, pondo os mecânicos numa roda vida, a procurar fazer o impossível, isto é,  montar uma mota nova em cerca de cinco minutos …

Laverty que ocupava a 2ª posição na grelha de partida não perdoou e atacou logo de inicio levando atrás Rea, Melandri, Guintoli, Baz e Carlos Checa.

Mas Eugene Laverty não queria problemas e manteve um ritmo forte, e foi-se livrando um a um dos seus adversários, apenas Rea, acompanhou a Aprilia, entretanto Guintoli ultrapassa Melandri que começa o seu calvário, devido a um defeito no pneu traseiro da sua BMW que perde borracha gradualmente.

A meio da corrida Laverty descola definitivamente de Rea, que não só perdeu o as referencias do líder da corrida, como viui aproximar perigosamente Sylvain Guintoli que até então rodava tranquilamente na  3 º posição, enquanto atrás de si Loris  Baz, calos Checa e Chaz  Davies lutavam pelo 4 º lugar.

Finalmente quando faltavam 4 voltas para o final,  Guintoli ultrapassa  Rea, e acaba a corrida  em segundo, a quatro segundos do vencedor  Laverty enquanto o 3º foi Rea seguido de Baz , Davies  e  Carlos Checa, sexto.

Com Sykes, inexplicavelmente, a cair na volta de  aquecimento e Melandri vítima do pneu traseiro, deixando-o fora do top 10, os grandes beneficiados em  Portugal foram o francês Sylvain Guintoli, no titulo de pilotos e construtores que, com dois segundos lugares em cada uma das corridas , aumentou sua vantagem na classificação geral para 28 pontos.

Classificação 2ª corrida  – Portimão 

Classificação Geral

No final das corridas, como aperitivo para a viagem de regresso, os espectadores que assim entenderam,  tiveram oportunidade de dar duas voltas  num dos melhores e  mais espectaculares circuitos do mundo, numa experiência que certamente não irão esquecer…

Portimão Bike Parade _1

Desporto motorizado de duas rodas **Por Mário Andrade e António Vermelho **14/06/2013** mandrade@ipressglobal.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui