O Jardim Zoológico de Lisboa tem dois novos habitantes: um casal de linces ibéricos. Os animais chegaram recentemente ao zoo no âmbito de um projecto de conservação da espécie desenvolvido em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas.

Azhar, a fêmea, é fundadora do Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico (CNRLI). O Macho, Gama, nasceu em 2010 no Centro de Reprodução de La Olivilla, em Espanha, tendo-se mudado em Novembro para o CNRLI. Os dois animais são agora embaixadores da espécie no zoo lisboeta e iniciam uma importante missão educativa junto dos visitantes.

No seu website, o zoo de Lisboa explica que a chegada do casal de animais faz com que a instituição passe a ter “um papel estratégico no plano de conservação da espécie, enquanto ferramenta essencial de divulgação e de sensibilização junto da população”.

“Este projecto orgulha-nos muito e reforça a nossa missão: preservar e conservar espécies em vias de extinção. O lince ibérico é ainda mais importante por ser uma espécie endémica da Península Ibérica, tendo em conta o sério risco de extinção que enfrenta”, indica o presidente do Jardim Zoológico de Lisboa, Francisco Naharro Pires.

O lince ibérico é nativo e endémico da Península Ibérica e está classificada como Criticamente em Perigo pela União Internacional para a Conservação da Natureza. A sobrevivência da espécie ainda está em risco, encontrando-se numa situação de pré-extinção. Estima-se que o número actual destes animais seja inferior a 350.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui