Zurique ficou em segundo lugar, depois de Singapura, enquanto que Genebra ficou em quarto lugar, depois de Hong Kong.

O estudo compara mais de 400 preços de mais de 160 produtos e serviços, incluindo mantimentos, roupas, utensílios domésticos, artigos de higiene pessoal, preços de aluguer de casa, transporte, contas de serviços públicos, escolas particulares, ajuda doméstica e custos de lazer. No entanto, não leva em conta o poder de compra nesses locais.

Ambas as cidades suíças subiram no ranking em relação ao ano passado, quando Zurique estava em quarto lugar e Genebra em sétimo.

O aumento da colocação pode ser largamente atribuído à decisão do banco central suíço de acabar com a taxa fixa de câmbio entre o franco e o euro, em janeiro de 2015, que fez o valor da moeda suíça disparar.

Mas, como a revista britânica observa ainda em seu estudo, “nenhuma dessas cidades sofreu com a austeridade da zona do euro ou o declínio económico causado pela queda dos preços do petróleo no mesmo nível de outras da União Europeia ou da Noruega.”

A flutuação da moeda também afetou outras regiões do mundo, como Nova Iorque e Los Angeles, que ficaram entre as dez primeiras pela primeira vez devido à alta do dólar, ou Rio e São Paulo, que caíram por causa da desvalorização do real.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.