Arqueólogos britânicos conseguiram desenterrar o palco do chamado Teatro de Shakespeare, em Londres, e não é nada como se pensava. Além da “estranha forma”, o palco ainda tem debaixo dele uma misteriosa passagem.

OMuseu de Arqueologia de Londres (MOLA) anuncia que, ao cabo de “escavações detalhadas de três meses”, há novos dados sobre o Teatro Curtain, localizado atrás de um pub de Londres, na zona conhecida como Shoreditch.

Este teatro, inaugurado em 1577, acolheu a companhia de William Shakespeare, entre 1597 e 1599, e terá sido o primeiro palco de peças históricas como “Henrique V” e “Romeu e Julieta”.

O MOLA trabalhou durante vários meses no local e agora que terminaram as escavações, anuncia que está confirmado que o “teatro rectangular foi construído propositadamente para performances e entretenimento”.

Numa nota no seu site, o MOLA também destaca a forma “estranha” do “palco rectangular“, “muito mais longo do que se esperava”, e com evidências de uma “passagem misteriosa” por baixo dele.

O palco teria 14 metros de comprimento e somente cinco metros de largura, o que constitui um formato único entre os teatros da mesma altura, do reinado da rainha Isabel I de Inglaterra (1558-1625).

A origem da “box office

“Esta descoberta excitante pode transformar a nossa compreensão da evolução dos teatros isabelinos”, aponta a arqueóloga do MOLA, Heather Knight, citada pelo site Heritage Daily.

Knight também destaca que o estranho formato do palco “levanta questões sobre a função do teatro e o tipo de entretenimento que pode lá ter sido encenado”, bem como se pode ter “influenciado peças como Henrique V e Romeu e Julieta”.

O que é certo é que o Teatro de Shakespeare foi “uma das primeiras casas de diversão isabelinas onde as pessoas pagavam de facto dinheiro para ver performances e ser entretidas”, destaca o MOLA.

DR MOLA

Vestígios de caixas cerâmicas de recolher dinheiro.

Vestígios de caixas cerâmicas para recolher dinheiro.

Os arqueólogos encontraram nas escavações “fragmentos de caixas de cerâmica” que eram usadas para recolher o dinheiro dos espectadores e depois levadas para um espaço para serem esmagadas, para contagem das moedas. “Este espaço era conhecido como box office, que é de facto a origem do termo que ainda hoje usamos”, salienta-se na nota do Museu.

Foram ainda encontrados frascos de beber e cachimbos de barro, contas de vidro e alfinetes que podem ter pertencido aos fatos dos actores, o que nos dá “um vislumbre dos bastidores”, sustenta o MOLA.

Muitos mistérios por resolver

As análises pós-escavação vão agora focar-se na “relação entre a estranha forma do palco, a produção e encenação e as misteriosas áreas de bastidores”, destaca o Museu.

“O nosso plano é fazer mais análise das descobertas em profundidade e mais pesquisa que possa trazer alguma luz a alguns destes mistérios“, aponta Heather Knight.

Os vestígios encontrados estão salvaguardados com “uma membrana protectora e um tipo especial de areia de pH neutro” enquanto decorrem as obras de construção do mega-empreendimento The Stage que vai incluir 400 apartamentos de luxo, vários quilómetros quadrados de escritórios, lojas de retalho e espaços de lazer, além de um centro cultural que vai ter em exibição as descobertas feitas no Teatro Curtain.

SV, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui