Uma das vantagens de ser um dos mais pequenos países da Europa (embora um dos mais densamente povoados) é que não se perde tempo em grandes deslocações. As distâncias são curtas, e em nenhum outro local da Europa existe uma tão grande concentração de locais históricos, templos megalíticos, praias, resorts turísticos, bares e restaurantes.

La Valletta

Viagem a Malta

Vista panorâmica de La Valetta

A capital La Valletta é o ponto de partida de uma visita a Malta. O centro desta cidade-museu, com uma concentração de mais de 300 monumentos numa pequena área, é Património Mundial da UNESCO.

A melhor forma de conhecer La Valletta é perder-se na suas ruelas estreitas e íngremes. A avenida da República é a principal rua da cidade, que conduz ao Forte de S. Elmo e onde todas as ruas laterais desembocam.

As praças foram pensadas como ponto de encontro dos soldados em caso de ataque do inimigo. A mais famosa é a Piazza Regina (também conhecida como Praça da República), com edifícios barrocos e vários cafés com esplanadas.

O Grande Porto é também de visita obrigatória, assim como os albergues, marcas da presença dos Cavaleiros da Ordem de São João. O mais impressionante é o Albergue de Castela, que é hoje a residência oficial do primeiro-ministro de Malta.

Atrações turísticas de Malta

Catedral de S. João

Esta é uma lista não exaustiva de alguns dos monumentos a visitar em La Valletta:

  • Portas da Cidade
  • Memorial do Sino
  • Catedral de S. João
  • Muralhas de La Valletta
  • Albergue de Castela
  • Il-Mandragg
  • Palácio do Grão-Mestre e Arsenal
  • Igreja do Naufrágio de S. Paulo
  • Forte de S. Elmo
  • Salas de Guerra de Lascaris
  • Jardins de Hastings
  • Jardins de Barrakka

Mdina

Rua típica de Mdina

Localizada a 20 minutos de carro de La Valletta, Mdina foi a primeira capital de Malta na época medieval. Conhecida como a cidade silenciosa, Mdina caracteriza-se pelas ruas estreitas e sinuosas, que são uma marca da presença árabe. Localizada no ponto mais alto da ilha, a cidade foi outrora uma fortaleza.

A Catedral de S. Paulo é um edifício impressionante, com uma cúpula que se distingue à distância de vários pontos da ilha. Passear ao longo das muralhas permite apreciar a paisagem rural de Malta e, ao mesmo tempo, ficar com uma ideia de como era a cidade de Mdina na época medieval.

Os carros não podem circular dentro de Mdina, mas existem parques situados próximo das Portas da Cidade.

Marsaxlokk

Vista de Marsaxlokk com os coloridos Luzzus

No sul da ilha de Malta, a cerca de uma hora de automóvel de La Valletta, não deixe de visitar as vilas piscatórias de Marsaxlokk e Birzebbugia. A primeira é famosa pelo mercado de peixe ao domingo e pelos seus coloridos barcos conhecidos como Luzzus.

Templos Megalíticos e Gruta Azul

Gruta Azul

A cerca de 20 minutos para oeste fica a Gruta Azul, onde é possível visitar o conjunto de grutas, praticar desportos como o mergulho, o snorkeling e a escalada de falésia.

Não muito longe, encontram-se os templos megalíticos de Malta. O destaque vai para os Templos de Hagar Qin, Mnajdra e Tarxien em excelente estado de conservação e que estão inscritos na lista de Património Mundial da UNESCO.

Este vídeo filmado em Malta por Martin Kochanik, com o título Landscapes of Malta, revela a beleza das paisagens do arquipélago.

Ilha de Gozo

Gozo é a segunda maior ilha do arquipélago de Malta. De Cirkewwa, no norte da ilha de Malta, parte o ferry até Mgarr em Gozo. A viagem dura cerca de 30 minutos, e o bilhete de ida e volta custa 4,65€.

Tal como na ilha de Malta, é aconselhável alugar um carro ou utilizar os serviços turísticos para visitar a ilha de Gozo.

A capital da ilha é Victoria, também conhecida como Rabat. Aqui, vale a pena passear pelas ruelas da citadela, animadas por artistas, habitantes locais e turistas. Fora da citadela, o destaque vai para a basílica de São Jorge em estilo barroco.

Outros pontos de interesse na ilha de Gozo incluem os lavadouros de Fontana, o Templo de Ggantija e o Moinho de Takola, a pitoresca aldeia de Xlendi e a sua baía, o Santuário de Ta’Pinu, o porto de Mgarr, e a gruta da Ninfa Calipso, onde, segundo a lenda, a ninfa manteve Ulisses cativo durante vários anos.

Fonte: Destinos e Viagens

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.