No teatro Nacional Dona Maria Segunda, Entrada Livre é uma festa do pensamento que dura três dias, 9 , 10 e 11 têm livros, música e claro teatro.

Sexta feira é um dia especial para o Teatro nacional de D. Maria II. Para além de mais uma edição de “Entrada Livre”, abre a temporada 2016/2017 com “O Pato Selvagem” – “Um texto canónico de Henrik Ibsen que não era representado em Portugal há 116 anos”, explica o diretor artístico do teatro Tiago Rodrigues.

“Para estes três dias onde o público não paga bilhete é possível visitar áreas que normalmente estão vedadas a quem vai ao D. Maria”, explica Tiago Rodrigues.

Para animar os espaços há uma feira do livro de teatro, e concertos de jazz. Filipe Melo compôs especialmente para este evento. Um concerto que acontece na Varanda da fachada do teatro voltada ao largo de S. Domingos.

“Esta é a Minha Cidade e eu Quero Viver Nela” da artista Joana Craveiro, com a Companhia de Teatro do Vestido é outras das estreias em destaque. “É uma peça que permite circular em torno do teatro, com momentos que acontecem na Avenida da Liberdade, ou no Rossio”.

Dia 9 há, na sala estúdio do Teatro Nacional, há ainda mais uma estreia absoluta. O Trabalho de uma jovem criadora, Ágata Pinho.

Quem for este fim de semana ao D. Maria II vai ainda encontrar debates sobre as utopias contemporâneas na Sala Garrett com nomes como Alexandre Quintanilha, Pacheco Pereira ou Gonçalo de Oliveira Martins.

RTP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.