As autoridades chinesas afirmam que a estação espacial Tiangong-1, lançada para o espaço em 2011, está oficialmente em rota de colisão com a Terra.

Segundo os cientistas, a Tiangong-1 foi lançada em setembro de 2011 pela Agência Espacial Chinesa e projetada para arder na atmosfera em 2013 – mas até agora continua em órbita.

A estação deverá perder altura graduadamente até reentrar na atmosfera terrestre, no final de 2017.

De acordo com o The Guardian, este anúncio vem confirmar várias especulações de que a China tinha perdido o controlo da estrutura depois de ter sofrido algum tipo de falha técnica ou mecânica.

O astrofísico Jonathan McDowell referiu que, caso não haja realmente qualquer controlo da Tiangong-1, será quase impossível prever quando e onde é que os destroços vão cair.

“Provavelmente só o saberemos seis ou sete horas antes da colisão“, afirmou.

McDowell destacou ainda que alguns dos destroços podem pesar quase 100 quilos e, mesmo que não causem grande estrago, podem provocar danos materiais significativos.

A estação deixou de enviar dados à Terra em março deste ano, e já foi substituída por uma nova estação orbital, a Tiangong-2.

Com cerca de 8,5 toneladas, a Tiangong-1 mantém-se a uma altitude de 370 km e está agora ser monitorizada pelos especialistas – que emitirão avisos apropriados caso ameace embarrar contra algum satélite.

A diretora do departamento de engenharia espacial da China, Wu Ping, adiantou que é “bastante improvável” que a entrada da estação espacial na atmosfera terrestre afete qualquer atividade aérea ou cause danos relevantes.

“Com base nos nossos cálculos e análises, a maior parte da estrutura irá arder durante a reentrada na Terra”, disse.

No entanto, é melhor prevenir-se e confirmar se o seguro da sua casa cobre os danos causados por uma estação espacial.

BZR, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui