foto: Tiago Petinga / Lusa

O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) foi detido, esta madrugada, na África do Sul, anunciou a Polícia Judiciária (PJ).

Segundo avançou a SIC NotíciasJoão Rendeiro foi detido, esta madrugada, num hotel de 5 estrelas na cidade sul-africana de Durban, na sequência de uma ação conjunta da PJ com as autoridades sul-africanas.

Numa conferência de imprensa realizada esta manhã, Luís Neves, diretor nacional da Polícia Judiciária, começou por agradecer às autoridades policiais da África do Sul e também ao Serviço de Investigação Criminal de Angola (SIC), que ajudou a estabelecer este contacto com as autoridades.

Luís Neves revelou que a saída de Rendeiro do Reino Unido foi detetada a 14 de setembro e que este entrou na África do Sul a 18 de setembro e que a sua fuga foi “preparada durante vários meses”. Quando a mulher do banqueiro foi detida e revelou a localização do marido já a PJ tinha essa informação, acrescentou.

Por lá, o diretor nacional da PJ disse que o ex-presidente do BPP esteve na “zona mais rica” de Joanesburgo, ficando em “hotéis de 5 estrelas”, e que não andava disfarçado, mas “tinha muitos cuidados”.

Reagiu com surpresa e não estava à espera da detenção. (…) João Rendeiro dizer que não está fugido é patético, no mínimo”, afirmou aos jornalistas.

O responsável da PJ disse que tudo será feito para que “a justiça seja materializada” e que há possibilidade de extraditar o antigo banqueiro, ao contrário do que tem sido veiculado, porque há um acordo de cooperação em matéria penal com a África do Sul.

Neste momento, aguarda-se a decisão das autoridades sul-africanas quanto às medidas de coação a aplicar, embora a PJ já tenha mostrado que se trata de uma “pessoa com grande capacidade económica, o que lhe dá grande mobilidade”, e que, portanto, há um “enorme perigo de fuga”.

“Será presente às autoridades nas próximas 48 horas. (…) Face ao enorme perigo de fuga e à sua personalidade, iremos reforçar a necessidade de uma medida de prisão”, explicou.

Ainda de acordo com a SIC Notícias, o porta-voz policial sul-africano adiantou que o ex-banqueiro encontra-se detido numa esquadra da polícia em Durban e irá comparecer no Tribunal da Magistratura de Durban na segunda-feira.

No final de novembro, o ex-presidente do BPP deu uma entrevista à CNN Portugal, em que garantiu que só regressava a Portugal se fosse ilibado ou com um indulto do Presidente da República.

Na altura, questionado sobre o seu paradeiro, Rendeiro não quis responder abertamente, mas revelou estar num sítio onde se fala português, perto do mar.

Rendeiro está em fuga desde 28 de setembro, data em que foi notificado para voltar a Portugal para ser ouvido pela juíza Tânia Loureiro Gomes, que o tinha autorizado a deslocar-se ao estrangeiro em trabalho.

O antigo banqueiro está condenado em três processos a penas de 10, 5 e 3 anos de prisão. Em causa, para já, a pena de 5 anos que transitou em julgado por crimes na gestão do BPP, em que foram lesados vários clientes. As outras ainda estão em fase de recurso.

O colapso do BPP, banco vocacionado para a gestão de fortunas, aconteceu em 2010, já depois do caso BPN e antecedendo outros escândalos na banca portuguesa.

O BPP originou vários processos judiciais, envolvendo burla qualificada, falsificação de documentos e falsidade informática, bem como processos relacionados com multas aplicadas pelas autoridades de supervisão bancária.

   ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui