Os profissionais de empresas de diversão tentaram forçar hoje de manhã a entrada no edifício do Ministério das Finanças para “assinar o livro de reclamações”, tendo a PSP usado bastões e gás pimenta para os travar.

Os manifestantes estão desde as 8h a protestar em frente ao Ministério das Finanças, no Terreiro do Paço, em Lisboa, exigindo serem recebidos pelo secretário de Estado das Finanças para falar sobre o setor.

Como não foram recebidos, tentaram entrar no edifício para “assinar o livro de reclamações, segundo disse à agência Lusa o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão (APED), Luís Paulo Fernandes.

No Terreiro do Paço, segundo constatou a agência Lusa, estão carros de diversão que os profissionais costumam utilizar nas manifestações, no dia em que a APED inicia três dias de protesto pela “sustentabilidade da atividade“.

Empunhando cartazes nos quais se pode ler frases como “Governo e deputados tenham vergonha” e “Basta. Não fizeram nada”, os manifestantes vão terminar o dia com uma vigília no Palácio de Belém.

No local existe uma forte presença policial.

“Apelo a que os empresários não desistam. É preciso ter esperança e lutar. Estamos há três anos à espera de uma resposta. Aqui luta-se pela sobrevivência. Eles [empresários] estão em silêncio e, como tal, não sei quantos são aqueles que se vão concentrar”, disse à agência Lusa o presidente da APED, Luís Paulo Fernandes.

Desde 2013 que estes empresários lutam pela aplicação da resolução 80/2013, aprovada por todos os partidos políticos no parlamento e publicada em Diário da República.

O documento “recomenda ao Governo o estudo e a tomada de medidas específicas de apoio à sustentabilidade e valorização da atividade das empresas itinerantes de diversão“.

As manifestações começam esta terça-feira e prolongam-se por quarta e quinta-feira frente aos ministérios das Finanças, da Economia e da Cultura, ao Palácio de Belém, à Presidência do Conselho

Os membros da APED pretendem, ainda, realizar desfiles nestes dias nas avenidas Infante D. Henrique e de Brasília, Belém, avenidas Infante Santo e Álvares Cabral, Rotunda Marques de Pombal e Segunda Circular.

/Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui