Quando a rede do telemóvel está má, é costume culpar-se a operadora, mas a razão do problema pode também estar no nosso próprio corpo. Um novo estudo aponta que trocar a mão com que seguramos o telemóvel melhora a qualidade das ligações de voz e de dados.

O autor da pesquisa, o cientista Gert Pedersen, da Universidade de Aalborg, na Dinamarca, explica que a razão é o design das antenas, que ficam justamente onde costumamos posicionar as mãos para segurar os telemóveis.

“Os fabricantes não deveriam colocar as antenas em regiões sensíveis, onde normalmente ficam as nossas mãos”, diz Pedersen à BBC.

“Mas fazem isso para optimizar o espaço (no interior do aparelho). Pelo mesmo motivo, não usam o melhor modelo de antena possível”, acrescenta o investigador.

Pedersen avaliou o desempenho de 26 modelos de telemóveis diferentes. Os aparelhos foram posicionados num boneco de testes e num suporte que simula o uso sem as mãos.

Os resultados mostraram que a ligação de voz é a mais afectada de acordo com a mão usada. Nos piores casos, o sinal transmitido pelo telefone ficou 100 vezes mais fraco.

Ainda que menos afectada, a conexão de dados também piorou nos testes, fazendo com que, em alguns casos, o download ficasse cinco vezes mais lento.

Os testes mostraram, por exemplo, que o Galaxy S7 Edge, da Samsung, o P9, da Huawei, e o Lumia 650, da Microsoft, funcionam melhor na mão esquerda, enquanto o iPhone 6S Plus, da Apple, o G5, da LG, e o HTC 10 têm melhor desempenho na mão direita.

O investigador recomenda assim, cultivar novos hábitos no uso do telefone, como fazer ligações com o aparelho sobre a mesa e ligado a um auscultador de ouvido.

“Se puder usá-lo sem as mãos, faça isso. Assim, o sinal melhora bastante”, diz Pedersen.

“Outra coisa que pode fazer é não segurá-lo com muita força contra a cabeça. Tente fazer isso de forma mais leve e terá uma conexão muito melhor”, recomenda o investigador.

ZAP / BBC

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.