Uma investigadora de apenas 25 anos criou uma maneira inovadora de combater as superbactérias resistentes a medicamentos, recorrendo a um polímero em forma de estrela que provoca a destruição desses organismos.

Segundo Shu Lam, estudante de doutoramento da Universidade de Melbourne de apenas 25 anos, a técnica foi eficaz na exterminação de seis superbactérias diferentes sem o uso de antibióticos – simplesmente rasgando as paredes celulares.

“Descobrimos que os polímeros atacam e destroem as bactérias de várias maneiras. Um dos métodos usados é a demolição da parede celular das bactérias, o que gera muito stress e faz com que esses organismos comecem a matar-se”, disse Lam ao jornal The Telegraph.

Os polímeros, ou SNAPPS, têm a capacidade de penetrar, atacar e desestabilizar a membrana celular das bactérias, sem afetar as células que estão saudáveis.

De acordo com Greg Qiao, um dos investigadores da equipa, ao contrário dos antibióticos – que também podem afetar células saudáveis – os SNAPPS “são tão grandes que não parecem afetá-las“.

“Estamos a falar de uma diferença de escala entre um rato e um elefante. As grandes moléculas não conseguem entrar nas células saudáveis”, afirmou.

Em todas as experiências realizadas, os SNAPPS foram capazes de matar os seus alvos e as bactérias não pareceram desenvolver qualquer resistência aos polímeros.

Segundo o jornal britânico, as superbactérias matam cerca de 700 mil pessoas por ano, entre elas 230 mil recém-nascidos.

A investigação, cujos primeiros resultados foram publicados na Nature Microbiology, ainda está a decorrer, mas vários cientistas dizem ser um avanço que poderá mudar a medicina moderna.

BZR, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.