A filha de 15 anos do atleta norte-americano faleceu na sequência de um tiroteio entre duas viaturas em Lexington, no estado do Kentucky.

A filha do atleta olímpico Tyson Gay foi morta, na madrugada deste domingo, num tiroteio no estado norte-americano do Kentucky, escreve o New York Daily News.

Trinity Gay, de apenas 15 anos, estava num restaurante em Lexington, quando foi atingida no pescoço por causa de uma troca de tiros entre dois veículos num parque de estacionamento.

“No domingo, por volta das 04h00 horas, a polícia foi até ao estacionamento do restaurante Cook Out, onde os tiros foram disparados”, refere um comunicado das autoridades de Lexington.

“Uma adolescente foi apanhada na troca de tiros e, depois de ter sido transportada num carro particular para um hospital, de onde foi então transferida para a Universidade de Kentucky Hospital, acabou por morrer”, acrescenta a mesma nota.

De acordo com o mesmo site, um suspeito de 21 anos, chamado Dvonta Middlebrooks, foi detido e acusado de porte de arma ilegal, mas ainda não se sabe quem foi o principal responsável pela sua morte.

(dr) Facebook

-

A jovem era já uma promissora atleta e, apesar de querer ser médica cirurgiã no futuro, pretendia seguir os passos do pai no atletismo.

“Ela queria ser a mulher mais rápida do mundo e agora tiraram-lhe isso”, lamentou a mãe Shoshana Boyd.

O atleta, considerado o segundo mais rápido de sempre, atrás de Usain Bolt, também já confirmou a morte da filha.

“Ela não resistiu. Estou tão confuso. É de loucos. Não tenho ideia do que aconteceu”, afirmou o atleta.

A federação norte-americana de atletismo apresentou as suas condolências a Tyson Gay e à família, através do Twitter, lamentando a “trágica e incompreensível” morte de Trinity.

ZAP / Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui