Nove manifestantes do grupo Black Lives Matter (Vidas Negras Interessam) invadiram o aeroporto da City de Londres, no Reino Unido, impedindo o levantamento de voos e provocando o caos. Foram todos detidos num protesto contra a crise climática que classificam de “racista”.

O incidente começou pouco antes das seis da manhã quando nove pessoas invadiram a pista do Aeroporto, “erguendo um tripé e amarrando-se juntas na pista”, relata uma nota da polícia metropolitana de Londres.

“Os agentes negociaram com os protestantes e especialistas da polícia chegaram para ‘desbloquear’” a situação, acrescenta a força da autoridade, revelando que começou a deter os envolvidos pelas 09h30 horas.

Segundo a BBC, os nove elementos foram detidos e a Scotland Yard está agora a investigar como é que conseguiram chegar à pista do aeroporto.

Há especulações de que poderão ter nadado pelo rio Tamisa ou usado um barco.

A situação causou o “caos” no aeroporto, que é usado por muitos empresários que trabalham no centro financeiro de Londres, conforme relatos de passageiros afectados e ouvidos pela emissora britânica.

Vários voos estão atrasados e os voos com destino à City foram desviados para os aeroportos de Gatwick, nos arredores de Londres, e Southend, no Essex.

No Twitter, o grupo Black Lives Matter do Reino Unido (BLMUK) explica que o protesto tem por base o “impacto ambiental nas pessoas negras” e uma “crise climática racista”.

“Em 2050, haverá 200 milhões de refugiados climáticos. As pessoas negras são as primeiras a morrer, não as primeiras a voar”, escreve-se no perfil do grupo naquela rede social.

“No Aeroporto City de Londres uma pequena elite consegue voar, só em 2016, 3.176 migrantes morreram ou desapareceram no Mediterrâneo”, acrescentam os responsáveis do BLMUK, concluindo que “o Reino Unido é o principal contribuidor per capita para a mudança de temperaturas e está entre os menos vulneráveis aos seus efeitos”.

Activists in support of BLMUK London City Airport to protest the UK’s environmental impact on black people

Activists in support of BLMUK London City Airport to protest the UK’s environmental impact on black peoplepic.twitter.com/7LvFnB9Pv3

Climate crisis is a racist crisis. 7/10 of the countries most affected by climate change are in sub-Saharan Africa.pic.twitter.com/TN3AZc2ldG

Ver imagem no Twitter

Black people are the first to die not the first to fly. This is why London City Airport has been

“Na Grã-Bretanha, 28% das pessoas negras têm mais probabilidades de ser expostas à poluição do ar, estando em maior proximidade das indústrias que causam as alterações climáticas”, diz ainda um membro do BLMUK, Joshua Virasami, em declarações à BBC.

SV, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.