O Senado brasileiro não teve coragem de condenar a Presidente em todos os efeitos da pena prevista na Constituição para o crime de responsabilidade em que estava indiciada, isso só significa que não conseguiu provar a sua conduta como tendo a gravidade suficiente para merecer essa pena, já que a favor dessa decisão votaram apenas 42 senadores, o que é insuficiente para a maioria de 2/3 exigida pelo art. 52º da Constituição Brasileira.

Dilma Roussef não esteve nunca indiciada em nenhum processo de corrupção. A maioria dos senadores que votou a favor da destituição de uma presidente democraticamente eleita fê-lo com base em acusações de corrupção sem estar acusada de qualquer processo criminal. Pelo que esta condenação será assim apenas política, exclusivamente para a afastar da governação.

Depois de todo o teatro operado, a advogada Janaina Paschoal em choro comovido garante que o Impeachement é um ato divino e pede desculpa aos netos de Dilma, seguindo-se o próprio advogado de defesa também a igualar o nível de choro, tudo não passa de mais um novela muito ao estilo brasileiro, transformada em golpe de Estado.

A democracia não é isto, não pode ser isto. Num país onde a grande maioria dos ditos senadores estão declarados como corruptos, a deposição de uma presidente eleita em democracia, é um ato de completa subversão do sistema. Será mais um duro golpe num país que caminhava para um regime democrático, é um golpe de poder travestido de populismo, não é isto que o povo brasileiro merece.

 

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui