Ontem, a imprensa avançou que os funcionários públicos iam receber no próximo ano um terço do valor da progressão na carreira, sendo o restante acréscimo remuneratório pago em dois momentos em 2019.

Agora, segundo informações avançadas ao Expresso, o Governo chegou a acordo com o PCP e recuou assim na intenção de descongelar apenas 33% da verba em 2018 e os restantes 67% em 2019.

O calendário que ficou acordado prevê agora que 25% das atualizações ocorram logo em janeiro de 2018 e mais 25% em setembro.Os restantes 50% de atualizações ficam agendadas para 2019, ocorrendo 25% em maio e a restante parcela em dezembro.

De acordo com o Público, a data em que os funcionários públicos chegam ao pagamento total é igual à que o Governo propunha – 1 de dezembro de 2019 – porém, esta nova distribuição permite que tanto em setembro como em maio os trabalhadores já estejam a receber mais do que na proposta anterior.

A proposta do Orçamento do Estado 2018 foi aprovada por volta da meia-noite desta quinta-feira em Conselho de Ministros, depois de mais de 14 horas de reunião, no entanto, estes ajustes referentes às progressões nas carreiras foram acertados com os comunistas já durante a madrugada.

O jornal escreve que, tal como nos dois últimos orçamentos, é possível que haja acordos noutras matérias com os partidos de esquerda ainda durante esta sexta-feira, dia em que será entregue na Assembleia da República.

A votação final do global do OE2018 está prevista para 28 de novembro, um mês depois do debate na especialidade e da votação na generalidade, a 3 de novembro.

ZAP //

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui