As aplicações que dependem das coordenadas de GPS, como o Pokémon Go e a Uber, não estão a funcionar corretamente perto do Kremlin, no centro de Moscovo.

De acordo com os utilizadores, as aplicações não reconhecem as coordenadas corretas do local e situam os usuários no Aeroporto Internacional Vnukovo, a 29 quilómetros da capital russa.

A situação tem incomodado os cidadãos que pretendem usufruir da plataforma Uber, pela dificuldade em compartilhar a localização, e os jogadores de Pokémon Go – que não conseguem encontrar as respetivas áreas onde estão os Pokémons.

Até os atletas que participaram na maratona de Moscovo, em agosto, destacaram que os percursos registados nos relógios de treino se perderam à medida que se aproximaram do Kremlin.

“Reparei que foram adicionados 40 quilómetros à distância que percorri, e isso aconteceu perto do Kremlin”, afirmou o maratonista Andrey Yegorov, citado pela Associated Press.

O porta-voz do presidente russo Vladimir Putin, Dmitry Peskov, disse não saber o que provoca esta falha do sinal de GPS e admitiu ter reparado na situação quando estava a conduzir.

Peskov redirecionou o assunto para a Guarda Nacional da Rússia, cuja função é proteger o presidente e os restantes membros do governo.

Segundo Grigory Bakunov, um programador da empresa russa Yandex, esta interrupção do GPS no centro de Moscovo serve para impedir o uso de drones perto do Kremlin.

Este fenómeno surge numa altura em que a imprensa russa noticiou que o país tem feito várias referências a uma “iminente terceira guerra mundial”.

A principal estação televisiva do país, Rússia 24, referiu que as autoridades russas estão a preparar abrigos antinucleares em Moscovo, sublinhando que “a terceira guerra mundial já começou”, por causa do conflito na Síria.

BZR, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.