- Pub -

Um asteróide de 35 metros passou invulgarmente perto da Terra, e foi detectado pelos cientistas apenas no último momento.

A 27 de agosto, astrónomos do Centro de Planetas Menores (MPC) da União Astronómica Internacional, uma instituição norte-americana encarregada de compilar observações de asteróides e cometas, descobriram um asteróide a que chamaram 2016 QA2,

Segundo o Science Alert, este asteróide, que tem entre 16 e 42 metros de largura, chegou ao seu ponto mais perto da Terra no dia seguinte à sua detecção, a 28 de agosto.

Nessa data, o asteróide esteve a 0,22 distâncias lunares da superfície do nosso planeta, ou seja, menos de 100 mil quilómetros (uma distância lunar equivale a 384.400 quilómetros).

Asteroid 2016 QA2 discovered. Flyby Aug 28 at 01:24 UT. Dist: 0.23 LD (0.22 LD from Earth surface). Size: 16-52 m. http://bit.ly/2bqks7f 

Uma distância de mais de 100 mil quilómetros é considerada segura pelos cientistas, mas outro aspecto chama a atenção: como é que um objeto celeste relativamente grande e tão perto próximo quase a escapar da vista dos astrónomos?

A NASA estima que mais de 90% dos Near-Earth Objects, os objetos próximos da Terra, com diâmetro superior a um quilómetro tenham sido descobertos.

No entanto, até agora, terão sido detectados apenas 30% dos NEO com 160 metros, e 1% dos NEOde 30 metros de diâmetro.

Estas rochas espaciais são demasiado pequenas para serem detectadas a não ser quando se encontram a uma distância suficientemente perto, mas suficientemente grandes para causar danos em caso de impacto.

Segundo explica o Gizmodo, o 2016 QA2 tem uma órbita elíptica incomum, que cruza as regiões planetárias de Mercúrio, Vénus e Marte, pouco visível a partir da Terra.

Gizmodo / NASA

A órbita elíptica do asteróide 2016 QA2

Em suma, a Terra viveu para ver mais um nascer do Sol, e disse adeus a mais uma rocha espacial.

ZAP

- Pub -

Deixe o seu comentário