foto: USAF / Wikimedia //

A coligação internacional contra o grupo extremista Estado Islâmico matou por engano 18 combatentes aliados das Forças Democráticas sírias num ataque aéreo no nordeste da Síria, indicou esta quinta-feira o comando das forças norte-americanas no Médio Oriente.

 O incidente ocorreu na terça-feira perto da cidade de Tabqa, onde se encontra uma barragem estratégica no Eufrates que a aliança árabe-curda das Forças Democráticas da Síria (FDS) se esforça por recuperar ao Estado Islâmico, no quadro da ofensiva sobre Raqa, a capital de facto dos jihadistas.

O objetivo era matar elementos do Estado Islâmico, mas foram membros das Forças Democratas Sírias que foram bombardeados e mortos no mais recente ataque aéreo liderado pelos Estados Unidos da América.

As forças aliadas FDS deram à aviação da coligação as coordenadas erradas e foi uma posição sua que foi atingida. A revelação foi feita esta quinta-feira pelo Pentágono.

“O ataque foi pedido pelas forças aliadas que identificaram a localização do alvo como uma posição do Estado Islâmico. No entanto, a localização veio a revelar-se ser uma posição das Forças Democratas Sírias”, lê-se num comunicado do Pentágono citado pela imprensa internacional.

O comando norte-americano já apresentou as suas “mais profundas condolências aos membros da coligação e respetivas famílias”, garantindo que está a apurar as causas do incidente e irá implementar as medidas necessárias para prevenir que ocorram situações semelhantes no futuro”.

As FDS, com a ajuda aérea e terrestre da coligação liderada pelos Estados Unidos, já conseguiram cercar Tabqa.

ZAP // Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui