O criminoso vivia no Nepal e foi descoberto pelo FBI depois da tecnologia de reconhecimento facial ter identificado o seu rosto num passaporte que não correspondia ao seu nome.

Neil Stammer é um norte-americano de 48 anos que foi acusado de rapto e abuso sexual de crianças em 1999. Contudo, conseguiu fugir antes de ser detido e só foi descoberto agora no Nepal, graças à utilização da tecnologia de reconhecimento facial por parte do FBI.

O cartaz de procurado de Stammer esteve no site do FBI e a agência decidiu começar a digitalizar esse tipo de cartazes para cruzar essa informação com o software de reconhecimento facial que a força de autoridade começou a utilizar recentemente.

Isto permitiu detetar que o rosto de Stammer tinha sido identificado num passaporte cujo nome não correspondia ao seu, revela a ARS Technica. Desta forma, o FBI conseguiu descobrir que o criminoso estava a viver no Nepal, onde dava aulas de inglês e utilizava o nome Kevin Hodges, chegando a visitar a embaixada norte-americana com frequência para renovar o seu visto.

O programa de reconhecimento facial do FBI, apelidado de Comey, foi anunciado em junho e é fruto de uma parceria com a MorphoTrust. O objetivo da agência é contar com cerca de 52 milhões de imagens na sua base de dados já no próximo ano.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.