foto: Toms Kalnins / EPA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quer uma solução “criativa” e que contemple um calendário para a recuperação do tempo de serviço dos professores, foi este sábado noticiado.

De acordo com o semanário Expresso, o Presidente vetou o decreto-lei que previa a recuperação de dois anos, nove meses e 18 dias à carreira dos professores – longe do tempo exigido pela classe profissional – para dar mais tempo ao Governo para encontrar uma solução “criativa” e que contemple um calendário para o futuro.

Marcelo Rebelo de Sousa quer uma solução semelhante à que foi assumida nos Açores e na Madeira onde foi definido um calendário para a recuperação do tempo de serviço congelado dos professores. Tal como noticia o Expresso, a ideia passa por encontrar “solução criativa” em função das condições financeiras do país.

Ao que o Expresso apurou, Marcelo promulgará um novo decreto para as carreiras dos professores que tenha uma fórmula genérica e “aberta”, ou uma norma “imaginativa”, a garantir que futuramente se possa ir mais além de forma sustentável para as contas públicas — mas que passe no Parlamento.

Nestas condições, o Presidente estará disposto a promulgar um diploma que contemple a recuperação de apenas 2 anos, 9 meses e 4 dias – proposta rejeitada pelos sindicatos e propostap pelo Executivo socialista liderado por António Costa.

ZAP //

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.