O novo “ministro da guerra” do Estado Islâmico, Gulmurod Khalimov, de 41 anos, foi treinado pelas forças especiais dos Estados Unidos quando era líder da polícia do Tajiquistão.

De acordo com o New York Post, Khalimov é o substituto de Tarhan Batirashvili, que foi morto em julho durante um ataque aéreo.

O jornal nova-iorquino cita a agência Iraqi News, que garante que Khalimov “foi eleito o primeiro comandante militar do Estado Islâmico”, mas que “a organização não o anunciou oficialmente porque teme que, assim que o fizer, possa haver uma série de ataques aéreos contra eles”.

Gulmurod Khalimov juntou-se ao Estado Islâmico em 2015, depois de desaparecer da força especial da polícia do Tajiquistão.

Um mês depois de ter abandonado o seu país, Khalimov apareceu num vídeo do Estado Islâmico, no qual anuncia ataques terroristas contra o Tajiquistão, a Rússia e os EUA.

No mesmo vídeo, Khalimov afirma que, entre 2003 e 2014, participou em cinco operações de treino – algumas nos Estados Unidos.

O Departamento de Estado dos EUA está a oferecer uma recompensa de três milhões de dólares(2,65 milhões de euros) pelo terrorista.

Um funcionário do Departamento de Estado, citado pela Reuters, adiantou que Khalimov é considerado como uma ameaça devido ao seu treino contra-terrorismo, que incluiu “negociação de reféns e liderança tática.”

O novo ministro da organização terrorista e a mulher são procurados pela Interpol por traição, e já foi emitido um mandato de captura internacional para a sua detenção e extradição para o Tajiquistão.

BZR, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui