A primeira encíclica do Papa Fancisco, sobre as alterações climáticas, foi divulgada pela revista italiana L’Espresso, através de uma fuga de informação, o que motivou uma reação negativa do Vaticano.

Na versão divulgada do documento, que o Vaticano já disse não ser a versão final, cuja divulgação está marcada para quinta-feira, Francisco apela à humanidade para que mude estilos de vida e consumos de energia, sob pena de graves consequências.

Entre estes resultados está uma “destruição inédita do ecossistema” até ao final deste século, o que, prevê o Papa, “vai ter consequências graves para todos”.

Ainda segundo o que foi revelado, o Papa defende que as alterações climáticas são um problema provocado principalmente pelo homem.

O jornal The Guardian relembra que a divulgação da encíclica, que é uma carta do papa aos bispos, estava marcada para ocorrer antes da ida de Francisco aos Estados Unidos, onde deve discursar na Organização das Nações Unidas (ONU) e no Congresso.

Ao fim da tarde, ainda segundo o jornal britânico, o Vaticano solicitou aos jornalistas que não divulgassem os detalhes do documento, argumentando que não era a versão final e classificando a fuga de informação como “um ato de sabotagem contra o Papa”.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.