A moeda virtual Bitcoin superou todas as moedas correntes emitidas por bancos centrais, como o euro e o dólar, ao ter uma valorização de 125% em apenas um ano.

A moeda virtual entrou em 2017 acima dos mil dólares, tratando-se da primeira vez em três anos que atinge tal valor. De acordo com a Reuters, a Bitcoin subiu 2,5%, para 1.022 dólares (quase 980 euros) na Bitstamp na Europa, cotação máxima desde dezembro de 2013.

Assim sendo, a Bitcoin superou todas as moedas correntes emitidas por bancos centrais, como o euro e o dólar, ao ter valorização de 125% em apenas um ano. A “criptomoeda” baseada na web não tem autoridade central, confiando em milhares de computadores em todo o mundo que validam transações e adicionam novos Bitcoins ao sistema.

O máximo de sempre da Bitcoin foi de 1.163 dólares, um valor atingido em dezembro de 2013, e a moeda digital parece estar a caminhar rapidamente para este patamar. Neste momento, a moeda já atingiu uma cotação de 1.090 dólares.

A volatilidade da Bitcoin tem sido uma constante e os analistas não conseguem precisar as razões para a valorização da moeda. A moeda digital é uma forma rápida e anónima de fazer transações, o que atrai utilizadores de países como a China. Além disso, com a vitória de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos, vários investidores decidiram apostar no novo “refúgio”.

Suporte no Excel

Com este sucesso, ao que tudo indica, a Microsoft também quer faturar uma parcela. De acordo com o site MS Power User, a companhia está a trabalhar no suporte avançado ao formato Bitcoin no Excel.

Quando o recurso estiver disponível, os utilizadores poderão usar o programa do Office para rastrear, calcular e ainda analisar os dados da Bitcoin utilizando as opções de formatação de números nativos da Bitcoin.

A novidade deverá estar disponível no primeiro semestre de 2017 para Windows, Excel Online, Excel Mobile para Windows e Excel Mobile para Android.

// ON

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui