Empate a 6 golos diante do AD Valongo fecha uma época “negra” para o FC Porto, no dia em que Reinaldo Ventura fez o seu último jogo de Dragão ao peito.

Um jogo tipicamente de final de campeonato, com as ambas as equipas a jogarem de forma mais relaxada que o habitual, pese embora o Valongo estivesse ainda a lutar pelo terceiro lugar na tabela classificativa, precisando da vitória para alcançar esse feito.

Numa tarde de muitas despedidas no Dragão Caixa, equipa técnica e metade do plantel de saída, o maior ponto de interesse nem foi tanto o jogo, mas sim o adeus do “Rei” do hóquei portista, Reinaldo Ventura, que depois de mais de 25 anos a jogar pelos Dragões, parte para um novo desafio agora no OC Barcelos.

Quanto ao jogo, ao Valongo só o triunfo interessava e tudo fez para o conseguir. Com uma entrada forte, logo aos 4 minutos João Souto colocou a equipa visitante na frente do marcador, mas os Dragões não se intimidaram e rapidamente responderam operando uma reviravolta no marcador com um “bis” de Ricardo Barreiros. A primeira parte foi totalmente repartida e ao intervalo a vantagem dos portistas (3-2) não era sinónimo de domínio, bem pelo contrário.

O segundo tempo foi exatamente igual ao primeiro, o Valongo mais afoito à procura do golo e os azuis-e-brancos em ritmo mais lento, transparecendo o desgaste psicológico que esta equipa sofreu ao longo da época. Os momentos mais quentes da partida tinham sempre um denominador comum: Reinaldo Ventura! Sempre que o capitão era chamado ao jogo, o público levantava-se para aplaudir, deixando no ar uma forte emoção e um sentimento que a saída deste jogador não foi ainda bem entendida pela massa associativa.

No final, o empate (6-6) acabou por ser justo e premiar o conjunto de Valongo que lutou até ao fim para conseguir a vitória.

Reinaldo despede-se com um golo

Reinaldo Ventura festeja o seu último golo de Dragão ao peito
Reinaldo Ventura festeja o seu último golo de Dragão ao peito

Em dia de aniversário e com 13 campeonatos nacionais conquistados no FC Porto, o capitão Reinaldo Ventura despediu-se com a emoção estampada no rosto e nostalgia no olhar. Foi debaixo de uma forte ovação e já com o seu filho no colo que o capitão disse adeus ao Dragão, “Tive a felicidade de acabar junto dos meus adeptos” , começou por referir, não escondendo que saí feliz e tranquilo “saio de cabeça erguida e ciente que fiz tudo para dignificar esta camisola”.

Aos 37 anos, Reinaldo Ventura continuará a jogar ao mais alto nível reforçando o OC Barcelos, que prepara a próxima temporada com base numa equipa experiente e de grande qualidade, para lutar pela conquista do campeonato.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.