foto : Nathan Anderson / unsplash

A maioria dos estudos nesta área tem sido feita com pais que ainda vivem com os seus filhos e, nestes casos, as conclusões têm apontado para um maior grau de satisfação destas pessoas, comparativamente com aquelas que não têm filhos, nomeadamente devido à falta de tempo livre, de sono e de dinheiro.

Mas uma nova pesquisa realizada na Universidade de Heidelberg na Alemanha decidiu debruçar-se sobre os pais cujos filhos já não vivem com eles, analisando dados de um inquérito que questionou 55 mil pessoas de 16 países europeus, com 50 anos ou mais, sobre o seu bem-estar emocional.

Os resultados publicados no jornal científico PLOS One revelam que estas pessoas cujos filhos já saíram de casa têm um maior grau de satisfação com as suas vidas e poucos sintomas de depressão, relativamente a pessoas da mesma idade sem filhos.

Estes dados sugerem que os filhos que não vivem com os pais são “importantes fornecedores de apoio social aos seus pais na velhice“, como apontam os autores do estudo.

O investigador que liderou a pesquisa, Christoph Becker, constata na New Scientist que quando saem de casa, os filhos acabam por “dar algo de volta” aos pais, como cuidadores e até apoiando-os financeiramente. Além disso, deixam de representar um fardo e de ser uma fonte de stress para os pais.

“O papel dos filhos como cuidadores, apoio financeiro ou, simplesmente, como contacto social pode superar os aspectos negativos da parentalidade”, realça Becker.

O investigador norte-americano Nicholas Wolfinger da Universidade de Utah, nos EUA, refere à New Scientist que neste país se verificam os mesmos resultados, depois de ter analisado dados relativos a 40 anos de um inquérito social.

Wolfinger alerta ainda que se os pais não quiserem esperar que os filhos saiam de casa para serem mais felizes, devem mudar-se para países como Portugal, Noruega e Suécia, onde há melhores apoios sociais na parentalidade, designadamente licença parental remunerada e abonos de família. Um estudo de 2016 concluiu que nestes países, as pessoas com filhos em casa são ligeiramente mais felizes do que as que não têm filhos.

ZAP //

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui