Na categoria rainha, as hipóteses  de Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK) conquistar o seu a quarto título  consecutivo  no WorldSBK são muito altas. Depois de garantir o terceiro triplo consecutivo no Autódromo Internacional do Algarve, o piloto da Irlanda do Norte terá o seu primeiro match point em França, o último circuito europeu do calendário durante os próximo fim-de-semana 29 e 30 de setembro.

Rea enfrenta a 11ª corrida  com uma surpreendente vantagem de 116 pontos sobre Chaz Davies (Aruba.it Racing – Ducati) – segundo na classificação – quando faltam apenas seis corridas; se o piloto da Kawasaki Racing Team ( KRT) deixar França com uma vantagem de 100 pontos na classificação, será tetra campeão do mundo.

A Kawasaki também poderá  reivindicar quatro campeonatos  de construtores consecutivos em Magny-Cours. A marca japonesa tem atualmente  445 pontos, mais 73 que o segundo classificado a Ducati,  o único construtor que pode evitar ou atrasar mais uma vitória para as máquinas verdes.

Não é o caso dos  FIM Supersport 300 World Championship e do  European Superstock 1000 Championship, onde são reduzidas as  hipóteses  de aparecer  um novo campeão em  Magny-Cours. Os resultados da ultima corrida em Portugal –AIA – Portimão, levaram a que ambos os campeonatos sejam decididos na última prova.

Ana Carrasco (DS Junior Team) não conseguiu terminar entre os pilotos da frente em Portimão, mas com a  décima posição alcançada  à piloto espanhola – mantém-se na liderança do campeonato  com uma vantagem de 10 pontos sobre Scott Deroue (Motoport Kawasaki) , o vencedor da Nolan Portuguese Round. Mika Pérez (equipe Kawasaki ParkinGO) e Luca Grunwald (equipe Freudenberg KTM WorldSSP), 18 e 22 pontos atrás de Carrasco, respectivamente, também podem reivindicar o título em Magny-Cours, embora com menor favoritismo.

Nas STK1000, Markus Reiterberger (alfa-Racing-Van Zon-BMW) terá uma  oportunidade fantástica de conquistar o título. O alemão foi terceiro em Portimão, resultado insuficiente para conseguir mas chega a  a França, já que ele chega com uma vantagem de 18 pontos sobre Roberto Tamburini (Berclaz Racing Team) e 19 a sobre  Maximilian Scheib (Aprilia Racing Team), os seus dois rivais mais próximos.

O FIM Supersport World Championship  é o único título que certamente permanecerá vago após Magny-Cours. Depois de uma corrida cheia de drama no Algarve, Sandro Cortese (Kallio Racing) ampliou a sua vantagem sobre Jules Cluzel (NRT) para 16 pontos. Randy Krummenacher (Team Worldssp Evans Bros. do BARDAHL) e Federico Caricasulo (Team Oficial WorldSSP da Yamaha GRT) estão a apenas 20 pontos do líder do campeonato. Tudo ainda pode  acontecer quando faltam duas corridas para o final do campeonato na  Argentina e no seu  novíssimo San Juan Circuit, ou em Losail no Qatar, tradicional última prova do WorldSSP .

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.